Analista junior da Arko segue para London School
2008-06-23
William Waack debate eleições com Murillo de Aragão
2008-06-28

Nota de Esclarecimento

O jornalista Rildson Moura, diretor de Informação e Monitoramento Legislativo da Arko Advice, estava no legítimo exercício de suas atividades profissionais na tarde de hoje, na CPI de combate à Pedofilia, quando o senador Magno Malta reclamou que ele havia manipulado documentos da comissão.


A respeito, a Arko Advice esclarece que:


1) Rildson Moura não manipulou informação alguma nem cometeu qualquer ato ilegal. Viu dois requerimentos que estavam sobre a bancada da sala da CPI, em lugar público e na presença de outras pessoas, quando foi advertido por um dos presentes, o Sr. Tiago Tavares, da Safernet, que assessora os trabalhos, de que ali havia documentos sigilosos, e afastou-se imediatamente da bancada;


2) O trabalho de monitoramento que a Arko Advice realiza para a Google no âmbito do trabalho da CPI consiste em transmitir à empresa da internet informações de caráter público sobre as decisões da comissão, incumbência que tem desempenhado de forma constitucional, legítima, legal e exemplar;


3) Rildson Moura é funcionário da Arko Advice há 20 anos desempenhando a tarefa de acompanhar decisões do Legislativo a respeito de clientes da empresa. Seu trabalho é amplamente conhecido por parlamentares, funcionários do Congresso e jornalistas, que podem atestar seu comportamento correto;


4) Diferentemente de informações equivocadas veiculadas sobre o assunto, ele não foi preso, e sim chamado a prestar esclarecimentos;


5) Rildson é profissional de conduta irreprimível, conforme podem atestar seus colegas de duas décadas de trabalho. A Arko Advice se coloca à disposição para prestar os esclarecimentos adicionais que forem necessários.


Brasília, 26 de junho de 2008


A Direção