A falta de um rumo claro da oposição beneficia o governo
2015-08-12
PB #1626
2015-08-19

TSE é risco menor para Dilma que TCU, que deve rejeitar contas, diz Arko

Infomoney – 13/08/2015

Por Marisa Castellani

Um cenário em que TSE aprove a cassação da presidente Dilma Rousseff e vice Michel Temer, quando julgar o mérito de ações impetradas pela oposição para impugnar a chapa vencedora das eleições de 2014, é “pouquíssimo provável”. A chance de TCU rejeitar contas do governo no ano passado, muito maior do que a disputa no TSE, seria o grande alimentador da batalha pelo impeachment no Congresso, diz Lucas de Aragão, sócio da Arko Advice, em entrevista por telefone.

A seguir, principais pontos da entrevista com Lucas Aragão:

“Julgamento em curso no TSE ainda não é sobre o mérito da ação e não significa que haverá cassação de Dilma e Temer”

“Eu me surpreenderia se saísse do TSE uma decisão que alteasse o quadro de poder no País hoje”

“Toffoli já deixou claro que não quer 3º turno no TSE, oposição já tirou o pé do acelerador nesse assunto porque poderia ficar com a pecha de estar trabalhando para tirar a soberania do País”

“Não há grande atores políticos do País defendendo isso”;

“PSDB hoje é muito mais dividido”;

“Seria uma imensa batalha jurídica, com risco de ainda estar em curso quando se aproximasse a data das próximas eleições”;

“Se TSE aprovar o prosseguimento da ação, estará apenas dando um sinal de que instituição está olhando tudo, investigando tudo”;

“TCU deve rejeitar contas de Dilma”, por causa de “erros grosseiros” cometidos pelo governo e por estar passando por uma “crise de reputação”, após dono da empreiteira UTC, Ricardo Pessoa, ter falado em delação premiada sobre pagamento de propina supostamente para ministro do tribunal”;

“Risco de Dilma é perder o Congresso, porque é ali que se dará a batalha do impeachment”;

“Dilma tem que focar no Congresso e ela está fazendo isso. Ela sabe que o Congresso é dono da chave do impeachment”.